voltar

Como as Entidades de Classe podem alcançar mais visibilidade e valorização

Quem é dirigente de classe e representa uma categoria profissional, por meio de um sindicato, uma associação ou um conselho profissional, pode se sentir mal ao perceber que a sociedade não dá o devido valor à sua profissão, e, pior ainda, que os profissionais/empresas que você representa não se sentem satisfeitos com o trabalho que está sendo realizado em prol da categoria.

Por mais desanimadora que esta realidade seja não é impraticável mudá-la, com a estratégia certa. Utilizando os meios de comunicação e as redes sócias da forma adequada às necessidades da entidade em questão, é possível ganhar prestígio, respeitabilidade, e ainda ser valorizado e aceito tanto pelos integrantes de sua profissão quanto pela sociedade.

O segredo é construir uma imagem positiva pessoal e profissionalmente ou mesmo recuperar uma imagem já desgastada por meio de duas estratégias de comunicação: discurso e divulgação.

Mas atenção: para obter resultados positivos, de imediato, a médio e longo prazos é preciso que o trabalho seja realizado estrategicamente, de forma coordenada e cadenciada, e que cada etapa seja executada por pessoas que realmente entendem do que estão fazendo.

O primeiro alerta é: o representante de uma entidade precisa ter total domínio sobre o valor e o poder das palavras.

Em segundo lugar, é fundamental conhecer os meios de comunicação que serão utilizados para divulgar os conteúdos de maneira rápida e eficaz.

Atente para este detalhe: uma palavra pode construir ou destruir uma vida. 

Na comunicação corporativa, as palavras bem colocadas, nos momentos e nos meios certos, causarão efeitos assustadoramente positivos, enquanto um texto mal redigido, sem o devido cuidado com os conceitos e ideias transmitidos podem causam um grande estrago e até mesmo destruir imagens e reputações anteriormente consolidadas.

Outro fator que pesa muito sobre as entidades de classe, e muitas vezes prejudicam a sua boa imagem perante a sociedade e os profissionais da classe, é o famoso fazer e não divulgar. 

Hoje em dia não basta ser bom, é preciso mostrar que é bom.

Portanto, não propagar este fato é o que chamamos de crise de comunicação: realizar uma ação e não divulgá-la, não se comunicar com a base e a sociedade.

Esta atitude tem um efeito negativo tão devastador quanto divulgar e não fazer.

Em geral, os dirigentes realizam coisas importantes para a categoria, em suas negociações com os órgãos públicos e até mesmo com os sindicatos patronais ou de profissionais. Estas pessoas obtêm inúmeras conquistas e benefícios para os associados e representados e não divulgam corretamente.

Muitos se limitam a publicar uma nota no site da entidade ou a fazer um comunicado oficial à base, via email marketing.

Informações positivas bem trabalhadas podem trazer frutos deliciosos de boa imagem e aceitação dos profissionais da classe.

Afinal, as atividades profissionais de todas as categorias produzem benefícios para a sociedade, sejam médicos, engenheiros,contadores, advogados, químicos... As conquistas obtidas geralmente se revertem em melhores produtos e serviços e, afinal, quem não ter ser bem representado?

Vamos conversar 

Pois bem, se você me seguiu até aqui, é um sinal positivo de que o tema lhe interessa. Caso sua entidade esteja passando por um problema semelhante, me proponho a te ajudar.

Entre em contato conosco e agende uma consulta de uma hora, sem custos, sobre comunicação integrada para entidades de classe. Esta breve consultoria pode ser feita por Skype ou por telefone, de qualquer parte do País.

Terei imenso prazer em atendê-lo.

Até breve.

Lenilde Plá de León

Contatos:

Telefone: 11 5011-1257

Skype: lenilde.deleon

Email: lenilde@deleon.com.br